06/07/06

Tanabata

Uma prendada donzela chamada Orihime e o jovem Kengyu viviam nas margens de um grande rio.

Como em tantas outras estórias eles apaixonaram-se intensamente e viviam exclusivamente um para o outro. Com tanto namoro deixaram de lado as tarefas e obrigações diárias e o pai de Orihime (Senhor Celestial) decidiu castigá-los pela sua irresponsabilidade. Foram condenados a viver em margens opostas e apenas podiam encontrar-se uma vez por ano, ao 7º dia do 7º mês lunar.


Nesta lenda Japonesa o grande rio é a Via Láctea e Orihime e Kengyo são as estrelas Vega e Altair, respectivamente. Esta é a lenda que sustenta o festival Tanabata (comemorado desde 755 AD). Crianças e adultos escrevem poemas de amor; desejos de saúde, de prosperidade e de riqueza em papeis coloridos que penduram em altos bambus com que enfeitam parques, ruas e praças.

Post-scriptum:
É fascinante a forma como o Homem interpreta o meio ambiente através dos mitos. Realmente é ao 7º mês lunar que no hemisfério Norte, brilhando intensamente no firmamento e separadas pela Via Láctea, se encontram as estrelas Vega e Altair. Hoje em dia a ciência explica e desmistifica os mistérios que nos rodeiam. Acredita na lógica e na ciência! O mito já não convence!

6 comentários:

hiyokochan disse...

a sério que preferes acreditar apenas na ciência? Eu gosto de pensar que os mitos e fábulas e fantasias que o Homem criou desde o início dos tempos têm um grande fundo de verdade e não só, colorem as nossas vidas com algo mais que factos...não é à toa que dizem que a ciência matou Deus, mas seremos mais felizes por causa disso? Será que não é importante acreditar que há coisas inexplicáveis?

Antonio Rebordao disse...

Resposta à hiyokochan (Laura):

Sim... acredito na ciência e na lógica mas fico enternecido com os mitos numa perspectiva cultural, histórica e social.

Os mitos são fascinantes pela sua relação com a história da ciência e com as metafóras que podemos construir tendo em conta a mitologia e a poesia. Isso enriquece a nossa vida... Mas não pode ser usado como forma de explicar o meio ambiente. Doutro modo um dia destes, em vez de irmos aos médicos, voltamos a "ir à bruxa".

Acredito que o inexplicável um dia será explicável através da ciência.

Beijos

Humor Negro disse...

Gosto das tuas leituras sobre a cultura japonesa, uma das minhas culturas fetiche.
Os portugueses foram os primeiros ocidentais que os japoneses toleraram, o que conta muito a favor deles ( e nosso, na minha perspectiva).
Um Abraço

joaonunes disse...

amigo nao é nenhum comentário acerca da foto , mas é joao de santo antonio para te das um abraço. vou pro BOOM festival trabalhar com a minha irma.

Anónimo disse...

aliás... os primeiros tópicos cientificos basearam-se em mitos e muitas das vezes, as teorias cientificas parecem-me autênticos mitos!! :)

abraço
marta, fundão

Manuela disse...

Gosto do que leio quando ca venho...a cultura japonesa é fascinante.
Beijos