10/12/07

14/11/07

O Meu Soutien Hashi

No Japão, China, Coreia e Vietnam comer com hashi (“Pauzinhos”) é prática corrente pois são versáteis, leves e usam-se sem esforço (eu próprio já me converti ao seu uso). Muitos desses hashi são descartáveis e gastam-se aos biliões o que implica o abate/desperdicio de florestas inteiras. Só que, em prol do desenvolvimento sustentável do planeta, a Triumph International, na semana passada, lançou um soutien que pode ajudar a resolver a situação.

Como há quem transporte os seus próprios hashi para não ter de usar os descartáveis e como é chato andar com tanta coisa a Triumph veio com uma ideia revolucionária – um soutien em forma de malga de arroz e malga de sopa com hashi extensiveis incorporados. Agora, para quem usa soutien, já não há desculpa para se esquecerem dos hashi em casa.


06/11/07

Bollywood



Alguns restaurantes Indianos são pequenas ilhas culturais que permitem aos seus clientes viajar sem ter de fazer check-in. Transportam-nos no espaço com comida, fragrâncias exóticas e sorrisos abertos de Nepaleses, Indianos, Bangladeshis e Cingaleses. Os sentidos excitam-se com cores, ritmos e cheiros e, por momentos, esquecemo-nos que estamos no Japão.


Para isto e muito mais, recomenda-se vivamente o restaurante Sultan junto à estação de Nezu (linha Chiyoda). Umas pakoras de entrada seguidas de caril, pão nan, lassi (iogurte com água), chá chay e, nos dias quentes, uma cerveja marca Evereste acompanham na perfeição os vídeo clips rocambolescos e coloridos que nos seduzem enquanto degustamos.

Post-scriptum: Uma vez li que se a vida fosse como Bollywood, seria colorida e cheia de ritmo...

28/10/07

O Estranho Mundo de Tóquio

Na Sexta-feira, no regresso a casa, encontrei um Batman e um travesti alcoolizados à saida da estação. Ontem, algumas partes da cidade acusavam a presença de monstros, mutantes e mascarados e nem o tufão 0709 os demoveu de atemorizar quem encontravam. Hoje de tarde, nas ruas de Sengawa, havia centenas de crianças, pais e curiosos mascarados de abóboras, bruxas e assassinos em série.

Embora o Halloween seja no dia 31, por conveniência (aqui nestas bandas) comemora-se no Sábado anterior. Além disso, atendendo aos seus trajes, parece que algumas pessoas confundem o Halloween com o Carnaval... (mas o que interessa é que se divirtam)

20/10/07

32

Hoje, Domingo, o escriba deste blog faz 32 anos e este Senhor, se estivesse vivo, teria 65 anos.

Em nome da "ciência"

Há quem proteja as amigas baleias mas também há quem as cace em nome da “ciência”. E é assim que, desde 1987, no âmbito de um "programa científico", o Japão mata 800 ou 900 baleias por ano. Embora sejam mundialmente repudiados, defendem o acto com argumentos flácidos. Mais informação em 1 e 2.

18/10/07

Apanhados XIV

Um coração Moçambicano, grande e generoso - Shibuya, Tóquio - Março 2007

15/10/07

A Esposa que Lançava Gases

No Japão, algumas lendas e contos para crianças cativam pela sua beleza (ex. Tanabata) mas outras é por serem estranhas (ex: a criança que cresceu dentro de um pêssego (Momotaro) ou "A Esposa que Lançava Gases" (The Farting Wife)).

Reza a história que, numa pequena aldeia, havia uma esposa perfeita - cozinhava bem, limpava bem a casa, era meiga e querida. Mas, como no melhor pano também cai a nódoa, ela libertava muitos gases. Sentindo-se culpada e em continência rectal há já algum tempo, confidenciou isso à sogra que lhe disse, "If you want to fart, fart," she says. "A fart's only a fart. Everyone farts. Why shouldn't you fart?" e, logo a seguir, a sogra foi projectada pelos ares. Consecutivamente o marido resolveu devolve-la à família mas, no caminho, com o poder dos seus gases, ela ajudou uns mercadores a colher as pêras de uma árvore. Isso fez o marido dela rico e reconhecer o amor que eles tinham um pelo outro. Construiram um quarto insonorizado e viveram felizes para sempre...

"A esposa que lançava gases" foi traduzida para Inglês. Podem-na ler clicando nos ficheiros aqui ao lado e/ou ouvir um excerto da mesma no vídeo.

As imagens e o texto em que me baseio encontram-se em AnEnglishManInOsaka

14/10/07

Apanhados XIII

Um sorriso Vietnamita, afável e honesto - em Nokogiriyama, Japão - 05/2007
Um olhar Húngaro, arguto e observador - em Nokogiriyama, Japão - 05/2007

08/10/07

Fui à floresta

Eu fui à Floresta porque queria viver livre. Queria viver profundamente e sugar a própria essência da vida... expurgar tudo o que não fosse vida. Sem descobrir, ao morrer, que não havia vivido.

Henry David Thoreau (1817 - 1962)

07/10/07

José Manuel

Numa globalidade galopante, por vezes, surge o problema da identidade - o Homem desenraizado, solitário e triste. Nesse contexto, se não sabemos quem somos, talvez se possa ter a ilusão de que é possível escolher livremente a nossa identidade.

Aqui vos deixo um falso documentário sobre o José Manuel.

06/10/07

A viagem

Lisboa, Dezembro de 2006
Há coisa de uma hora, li numa montra de Roppongi que a vida é uma viagem...

A Carta II

Meu Senhor, sabe-se que o Capitão-mor desta Vossa frota amiúde novas tem escrito mas “não deixarei de também dar disso minha conta a Vossa Alteza, assim como eu melhor puder, ainda que – para o bem contar e falar – o saiba pior que todos fazer! Todavia tome Vossa Alteza minha ignorância por boa vontade, a qual bem certo creia que, para aformosentar nem afear, aqui não há de por mais do que aquilo que vi e me pareceu. E portanto, Senhor, do que hei de falar começo.”

Chegamos a esta Vossa terra nova, como Vossa Alteza sabe, dois anos atrás no dia 6 de Outubro do ano de 2005. Desde então, muitas cosas se acharam e a acalmia por aqui nos tem mantido. Alguns nos têm seguido e, como me é dado ver e parecer, bem-vindo sejam aqueles que vêm por bem. O senhor feudal desta ilha continua a olhar-nos de feição e terras, pão, vinho, mulheres e cartas régias nos têm sido dadas e, quando as monções sopram a favor, lá vamos bolinando pelos mares destas ilhas. Aos poucos o novo idioma se entranha e os nativos se aproximam sem temor. Novas plantas, animais e produtos se acharam mas, por estranho que soe, muitas dessas plantas e animais também se acham em Portugal (diz-se que fruto de migrações de tempos idos). As oportunidades continuam a borbulhar e, se há as que se perdem, também há as que se agarram. Este seu servo quase de tudo tenta aprender e, agora que o Inverno se avizinha, por aqui iremos fundear com a graça do Senhor.

Beijo as mãos de Vossa Alteza.

Deste porto seguro, da Nossa ilha de Cipango, hoje, Sábado, sexto dia de Outubro de 2007.

António Rebordão

Post-scriptum: O primeiro parágrafo contem um excerto da Carta de Pero Vaz de Caminha.

05/10/07

Bob Cacet I

Amostras de uma existência na grande cidade…

O meu vizinho Bob tem sempre estórias para contar – seja a vez que saltou de um comboio em andamento, as deambulações por Paris ou a decadência de tempos idos. Não resisto a fazer dele personagem deste blogue pois não deixa de ser curioso o que ele me vai contando.

O Bob trabalha no showbiz e na sua vida não há grandes rotinas pois os dias sucedem-se por entre as exigências do momento e/ou ao sabor da corrente. Chegámos a Tóquio na mesma semana e por cá andamos desde então. Hoje almoçámos juntos e falámos destes últimos dias.

Não resisto em descrever o dia de ontem do Bob. A sua manhã começou com o estudo do Japonês e uma exibição de pintura Holandesa em Roppongi. Seguida de um almoço ao som de música Persa, da gastronomia Iraniana e da companhia do trio PHL. Mas como também há que trabalhar, lá rumou ao seu estúdio (perto de parque de Ueno) para descobrir que o PC tinha avariado com a chávena de café que lhe tinha caído em cima no dia anterior. Uma rápida substituição de PC e discos rígidos permitiu-lhe seguir em frente para, na companhia do sexteto PHELMA (E = Eu), terminar o dia saltitando por entre a energia orgasmica das livrarias e bares de Shibuya. Encerro esta pequena missiva com uma nota positiva para a L que estava de arrasar com o seu visual psicadélico e atitude habitual.

Hoje, antes de irmos almoçar, o Bob apareceu-me aqui em casa vindo dos banhos públicos que estão mesmo aqui ao lado. Também eu lá tenho ido e garanto que vale a pena.

Post-scriptum: Os banhos públicos são muito populares no Japão e são subsidiados pelo governo Japonês. Lá dentro somos todos iguais, todos nus em prol do bem-estar corporal. Ora bem, imaginem um complexo, pequeno ou grande, de massagens, jacuzzis, saunas e piscinas de águas vulcânicas. Muitas vezes têm áreas no exterior onde podemos estar nus sob a chuva, neve ou sol enquanto saltitamos de piscina em piscina. Cada piscina (entre 4 a 9m2) está a uma dada temperatura ou com uma dada combinação de minerais. Kimochi! (que bom!)

04/10/07

Outono 2007

Sente-se uma mudança no ar e os céus azuis, as temperaturas amenas e uma certa melancolia indicam que o Outono está a chegar. A cidade maquilha-se de azul cândido, amarelo solarengo e castanho Outonal onde eventos, pessoas e oportunidades se sucedem num rodopio vertiginoso.

01/10/07

Summa cum laude

Yoyogi-koen, Tóquio - Abril de 2007

Rodeado de verde e silêncio, este jovem ensaia alguma actividade minimalista numa urbanidade que se revela calma sob o despertar da manhã. Juntando-me a ninguém assisto aos seus movimentos rituais e questiono-me sobre o significado que encerram. Ele continua impávido à minha presença e a máquina fotográfica parece não o incomodar, afinal de contas, eu sou a audiência...

28/09/07

Filão vulcânico

O parque de Yoyogi Koen revela-se um filão inesgotável de liberdade e diversidade que fluem em espasmos vulcânicos. Aquilo que é estranho aqui depressa deixa de o ser e esse mundo passa a ser nosso. Ao fim-de-semana, a liberdade concentra-se aqui e tristes são aqueles que passam de empreitada e ajuizam montados no seu dogma.

26/09/07

Hanabi

Por entre o desfilar do verão, quando a humidade se cola ao corpo e as cigarras zumbem dia e noite, surgem as famosas Hanabi de Agosto. Nestes festivais de fogo-de-artifício, sob o mote da tradição e da socialização, vastas multidões se juntam numa volúpia colectiva (por vezes números a rondar o milhão). É então que as margens de alguns rios e algumas colinas se vêm invadidas pelo colorido da pólvora e das Yukatas (variante simples do Kimono).

Nos estados febris que acompanham esses momentos, fechando os olhos e ao sabor de essas Yukatas, imagino as Hanabis, os mercados e as pessoas da antiga Edo (Tóquio). Alguns segundos depois tudo termina, a humidade regressa e mais uma explosão de cor se avista.

Fotografias tiradas num festival algures junto à linha Odakyu a 4 de Agosto

29/08/07

Povo que lavas no rio

A vida tem-se revelado uma corrente incessante de casualidades cósmicas e, num quotidiano em ebulição constante, vários escritos estão na calha. Para breve!

Falando de tribos
/povos, não há margem para dúvidas que ser Português é ser de boa cepa e, vivendo numa Babel, cada vez estou mais seguro disso. Nós temos conteúdo e não me venham falar das vacas dos vizinhos.

O meu bem-haja a
D. Afonso Henriques, ao Infante Dom Henrique e a todos os que têm praticado o bem por Portugal.

11/08/07

BabelFish em acção

Mais algumas das jóias linguísticas dos programadores da Konami:

1) É meta total que enfileira por jogadores sucessivos.
2) É a informação de seu time para 15 estações no passado.
3) O número das metas lista muitos jogadores de alto-posição.

09/08/07

Sociologia

Num bar, galinheiro, escola ou savana observa-se um padrão social fascinante - animais humanos e não humanos unidos numa cadeia alimentar. Mantenham-se atentos.

06/08/07

modus operandis

A experiência na Konami revela-se uma saga e às vezes o seu modus operandis é anedótico.

Atribuiram 4% das traduções a uma outra pessoa que nos mimou com os seus "escanteios", "zagueiro", "time", "gol", "emparelhamento de equipas" e um conhecimento gramatical digno de um arrumador de carros.

Ultrapassada esta dificuldade, na eventualidade rara de ter condições de trabalho, surgem as exigências dos programadores (ex: escrever "semi-automático" com duas letras, "internacional" com uma letra, obrigatoriedade de usar conceitos como "botões de direcções" em vez de "botões de movimento", reduzir frases mesmo quando o seu significado se desvanece, etc.). E são os mesmos programadores que, de vez em quando, me pedem para corrigir os textos que obtêm no babelfish. Que fariam se vos pedissem para corrigir o seguinte texto?

------------------------------------------------------------------
<【#LCM1_W_164】>
Condição é ajustada.
Até mesmo se executar ajuste de condição, condição não faz se tornado bom necessariamente certamente. É total ajude posição por jogadores sucessivos.
Além disso, como o grau de fadiga aumentará se ajuste de condição é executado, o intenso jogador de fadiga pode ser prejudicado.
O jogador cujo ajuste de condição é desnecessário precisa remover um cheque.
Jogador com uma condição em cume não fica melhor.

03/08/07

As noites da Gardunha

Os astros sempre nos fascinaram e há vários milénios que influenciam a acção humana. Quiçá o verdadeiro Deus seja esse desconhecido...

De pequeno queria um telescópio para explorar os céus mas fiquei-me pelo olhar nu que, mesmo assim, preenchia as noites passadas no seio da Gardunha e, agora que estou longe, lá vou mitigando saudades ao sabor do Stellarium.

Ainda retenho algumas dessas paisagens estelares mas como escutar o vento que desce o vale, o marujar do ribeiro e os sons que a noite traz consigo?

Post-scriptum: A Gardunha foi baptizada pelos Árabes, significa refúgio/abrigo e é nesse refúgio que quero escrever um livro.

Feliz aniversário

Ad honores partilho o teu apelido e Deo juvante carregarei o teu ensinamento. Obrigado e que vida continue bela.

01/08/07

(i)mobilidade

Um instante de tempo captado num Domingo de Abril, no parque de Yoyogi koen.
Seja a mente, o corpo ou os astros, por vezes, aquilo que parece imóvel, na realidade é/está móvel. É uma questão de perspectiva e do instante de tempo considerado.

O quotidiano deste escriba assemelha-se a esta fotografia. Hoje (i)móvel, amanhã (i)móvel. Uma curva contínua regulada por variáveis desconhecidas que navegam ao sabor do tempo/sonho onde cada instante/elemento faz parte de um plano maior.

Keywords: Perspectiva, movimento-de-rotação, ambição, especulação, eixos-axiomáticos, visão e inexistência-de-férias no horizonte.

Trivialidade(s)


Já que a trivialidade também faz parte das nossas vidas, aqui vos deixo uma das jóias de "Os Verdes Anos".

28/07/07

O cão de bolso

Se vais à praia, ao parque ou ao supermercado, não deixes o bicho em casa, dá-lhe uma mão e trá-lo contigo...

Post-scriptum: Irritante é ver os bicharocos a passear em carros de bebé...

18/07/07

Ajisai

Em meados de Junho, massas compactas de corpos humanos visitam Kamakura com a ideia de ver as Ajisai (Hortênsias). O espectáculo prima pelas várias cores que as Hortênsias assumem e pelas multidões presentes. Templos, jardins e pequenas colinas vestem-se de rosa, azul, violeta, branco, etc. E as multidões avidas no seu alcanço...

14/07/07

MAN-YI

No Sudeste Asiático, a estação das chuvas começa em Junho e prolonga-se até Outubro. São as chamadas monções que, soprando de Sudeste, trazem humidade, chuva e tufões criando vários cenários. Quando os dias são solarengos a humidade faz-nos sentir como esponjas de água fumegantes e quando os céus são generosos a chuva instala-se num beijar suave (ou numa catadupa momentânea).

Há já vários dias que esse dito beijar se tinha instalado em Tóquio, mas tudo mudou quando o MAN-YI chegou. Este super tufão chegou calmo mas, mesmo assim, a chuva não para e sente-se que Noé e a sua arca estão de sobreaviso.

BIOGRAFIA: Nasceu a Norte do Equador no dia 4 de Julho e fez-se à estrada no dia 9. Deslocava-se a uma velocidade de 33Km por hora, com ventos de 294Km no seu centro e criando ondas de 13m; afundou um cargueiro; obrigou ao cancelamento de mais de 600 voos; causou mortes, cortes na electricidade, derrocadas de terras e evacuação de aldeias. Já visitou Guam (EUA) e em Okinawa zangou-se consigo mesmo, uma parte foi para a Coreia e a outra subiu longitudinalmente o Japão chegando ontem a Tóquio. Um tufão muito viajado e que felizmente já acalmou (mais info aqui).

08/07/07

Vicky


Num regresso à infância aqui fica o genérico dos primeiros cartoons de que tenho memória.

07/07/07

Sicko

Tv-links é uma mina dourada para todos aqueles que gostam de cinema, TV e música. Recomenda-se vivamente o seu uso e abuso.

Sicko de Michael Moore revelou-se parcial mas agora desconfio do sistema de saúde dos EUA. Sobre Cuba sabe-se que os seus hospitais são famosos mas o quadro retratado talvez esteja muito rosa. Resta acrescentar que é bom ser Europeu (viva o modo de vida e o socialismo).

Post-scriptum: Em terras Japonesas cabe-me pagar 20% das despesas médicas que efectue.

Tanabata 2007

Hoje, 7 de Julho, mais uma vez se comemora o festival Tanabata. Uma lenda chinesa que enche de colorido a primeira semana de Julho. Ver 2006/07 para ler o artigo do ano passado.

01/07/07

Água benta

Fonte de purificação num dos templos de Kamakura, Japão
Aqui pelo Japão, muitos dos templos têm uma fonte para que as pessoas se possam purificar antes de rezar. Normalmente fazem-no lavando as mãos e a boca.

30/06/07

Tanzawa-Oyama

As andanças preenchem os entretantos do quotidiano e hoje foi dia para deambular por entre rios, montes e vales do parque nacional de Tanzawa-Oyama. Uma cordilheira montanhosa que se veste de um verde esperança que nos recorda que ainda há sitios onde vale a pena respirar.

As nossas sandálias fizeram-se aos trilhos mas a chuva encurtou a incursão e, agora que estou em casa, os olhos continuam verdes de tanto verde e a mente clama continuação.

Senti um frémito ao ver outros mochileiros e avivou-se o desejo de me fazer à estrada. A semente já deixou de ser semente há muito tempo, e o feijoeiro vai crescendo (Birmânia 2007)...

16/06/07

Pro Evolution Soccer 7

O interregno deste blogue deve-se ao PES7 e PES8. Não como jogador mas sim como revisor linguístico. E é assim que os dias se sucedem numa rotina de trabalho e de objectivos a cumprir.

Concepção de video-jogos, Konami e outros assuntos para breve num blogue perto de si.

23/05/07

Sarampião

Uma epidemia de Sarampo anda à solta e os Serviços Médicos estão em alerta máximo. No Japão a vacina é opcional (desde os anos 80) e há muita gente sem imunidade. Algumas escolas já fecharam e só nos resta esperar que os bicharocos acalmem.


Post-scriptum:
Na América do Sul, o Sarampo, a Varicela, F. Cortez e outras doenças dizimaram 90% da população Inca e Maia...

22/05/07

Olhar

em Kichijoji, Tóquio, Japão
Elas olham quem passa, eu olhei quem estava e tu, para onde olhas?!

20/05/07

Acer palmatum

Momiji na Primavera
As Momiji (Acer palmatum) enbelezam os Outonos Asiaticos e preenchem a paisagem com cores que contradizem a bucolia Outonal. Agora as suas folhas estão verdes mas já antevejo mentalmente os tons castanhos, laranjas, amarelos e vermelhos que daqui a uns meses irão cativar o olhar.

Post-scriptum:
As fotos Outonais deste blogue têm algumas Momiji e há mais fotos em http://www.flickr.com/photos/momiji/favorites/
Momiji no Outono

16/05/07

Velocidade de cruzeiro

no parque de Yoyogi Koen, Tokyo
Este blog entrou em velocidade de cruzeiro mas os entretantos continuam em ebulição. Nem sempre tem havido alma para os partilhar mas começo a sentir o chamamento.

Para breve num blog perto de si...

26/04/07

Ruído vai-te embora!

Aqui estão os frutos do projecto que ando a desenvolver. Daqui a 5 meses estarão prontos a comer.

25/04/07

Em cada rosto igualdade

Há 33 anos foi dado um passo de gigante mas ainda há riachos por atravessar e trilhos por onde andar.

Haja liberdade! (e saúde)

Em cada lugar,
e em cada momento
quebremos os grilhões
que oprimem o pensamento.

O quebra-vedações em Rzeszow - Polónia (08/2003)

09/04/07

Poema X

Life is no straight and easy corridor along
which we travel free and unhampered,
but a maze of passages,
through which we must seek our way,
lost and confused, now and again
checked in a blind alley.

But always, if we have faith,
a door will open for us,
not perhaps one that ourselves
would ever have thought of,
but one that will ultimately
prove good for us."

A. J. Cronin (1896-1981)

07/04/07

Sakura 2007

A Sakura ameaça deixar-nos e pragmaticamente a Primavera instalou-se. Também este ano a romaria se repetiu - as multidões saíram à rua e um pouco por todo o lado fervilhavam piqueniques regados com bebida, música e muita animação.

Tal como o futebol, também a Sakura é democrática pois ricos e pobres, velhos e novos, cultos e incultos se misturam em nome das pétalas que esvoaçam ao sabor do vento. E é sob e sobre este manto branco que as pessoas se apresentam coloridas e divertidas em mais uma celebração anual.

06/04/07

Sakura II

fotografias tiradas no dia 1/04 junto ao rio que corre mesmo aqui ao lado de casa

31/03/07

Memórias de um Erasmus

em Oulu, Finlândia - Outubro de 2001 (o JPP tb me publicou a foto no Abrupto)
Junto ao círculo polar Ártico cada estação possui um fulgor próprio e uma beleza sem adjectivos. Guardo na memória os céus azuis, os lagos e as florestas sem fim dum Erasmus ido. Nessas latitudes o Outono precede o Inverno e, é então, que o quotidiano se cobre de branco, os lagos gelam e as Aurora Borialis aquecem as noites de quem as procura. Uma mãe natureza avassaladoramente bela que nos ensina a comunhar.
lago gelado - em Oulu, Finlândia - Janeiro de 2002