29/12/05

Há sempre espaço para + um!

O passar dos comboios - Odakyo Line 22/12/2005

Rezam as estatísticas que 20 milhões de pessoas circulam diariamente nesta Metropolis. As multidões, num constante fluir mecânico, deslocam-se de bicicleta e de Transportes Públicos: Cidadãos anónimos, presidentes de bancos e estudantes em uniforme seguem o seu fado de formigas humanas - com o olhar em frente, num passo rápido e decidido, pois não há tempo a perder na sua rotina laboral.

Este movimento sustenta-se num exercito de Táxis e autocarros, numa imensidão de bicicletas, em 13 linhas de Metro e numa fantástica rede ferroviária. Febril, pontual, caótico, eficiente, moderno e sobre-lotado, são termos que poderíamos utilizar para descrever os transportes públicos de Tóquio. Mas não há nada como um exemplo:

Normalmente saio de casa pelas 7h50min, de bicicleta vou até à estação do bairro, onde me coloco ordeiramente na fila. De 3 em 3 minutos um comboio pára, a fila avança e quando chega a minha vez sempre me pergunto - "será que consigo entrar?" Em Roma sê romano e é assim que entro de costas, furando a multidão, outras pessoas seguem-me e admiro-me por não ter sido o ultimo. Se alguém fica entalado na porta, empregados de luva branca ajudam-no (empurrando-o) a entrar. O mote é "Há sempre espaço para mais um!" Durante 20 min os corpos confundem-se, nunca sabemos com precisão onde acaba o nosso corpo e começa o dos outros. Se for possível erguer o braço, com o livro ou com o telemóvel no ombro do vizinho, aproveita-se para ler um pouco ou escrever uns emails. Outras pessoas, conscientes de que o dia será longo, cerram as pálpebras e entram em standby. Há também aqueles que dormem (sentados ou em pé) pois o comboio é a sua segunda cama. Mudo para o Metro, as multidões vão diminuindo e termino a minha rota caminhando
pela universidade. No total demorei 1h10min. Á noite espera-me o caminho inverso, no regresso a casa.

Posso contar o meu percurso mas não consigo descrever a emoção de avistar, ao anoitecer, o Comboio Bala por entre os arranha céus de Shinjuku, num cenário futurista adequado a um Blade Runner. Pensamos no futuro, e a custo nos apercebemos que o futuro é já presente.

7 comentários:

Anónimo disse...

:) grande abraço e bom 2006... continua as aventuras e desventuras em toquio... anninnis
www.mafiadacova.blogspot.com (kd kiseres ter noticias da nossa cova)

Anónimo disse...

Happy New 2006 Year!!!
ewa:)

Adélia disse...

Puxa, tem algum tempo que ando visitando o seu blog, sou amiga do Victor (seu amigo português) e essa postagem saiu a calhar com os pensamentos que tenho tido. Embora eu seja uma brasileira estive pensando justamente sobre vislumbrar o futuro e simultaneamente nortarmos que ele já se faz presente diante dos nossos olhos...
Como uma estudante de letras, não sei se por ser muito sensível às palavras também, digo que seu texto fez-me viajar por um momento para o outro lado do mundo... parabéns pelo lindo Blog e um Feliz Ano Novo!!!

Helder Ribau disse...

Vim apenas dar-te um abraço Rebordão...

Anónimo disse...

Olá grande António!Um excelente ano para ti, que a esse ritmo vai valer por muitos dos de cá. O texto está sonhador e esta tua foto está simplesmente genial. Parabéns, continua a presentear-nos com estas tuas notícas. PS - Podias mandar o link googlearth dessa tua casa.Grande abraço. Paulo Vasconcelos

this.is.me disse...

pergunto: e para mim também?

Anónimo disse...

enfrentas cada dia como sendo O dia , mas essa foto é demais !

M.C