14/03/06

Tailândia I

Se o Natal é quando o Homem quiser, o verão também o é! Pelo menos enquanto pudermos voar para os trópicos. Foi assim que os tunisínos Wael e Achraf e o vosso António (aka eu) se embrenharam numa curta e intensa visita ao reino da Tailândia.

Ao sair do avião o calor intenso envolveu-nos numa cortina húmida. A caminho do hotel comovemo-nos com as árvores estranhas que nos ofereciam o auge da sua floração enquanto os nossos ávidos olhos de turista observavam os nativos, as cores alegres e o reboliço de Bangkok com os seus 8 milhões de habitantes.
O hotel revelou-se uma óptima surpresa. Largamos as bagagens e partimos de novo... Em Silom (uma das zonas centrais da cidade) esperava-nos uma mistura de cheiros e cores; a tentação que habita as ruas de PatPong; os divertidos táxis Tuk Tuk e uma imensidáo de vendedores de rua (fruta, comida, roupa, souvenirs, inutilidades, etc). Recomenda-se negociar os preços, é frequente pedirem até 5 vezes o preço por que estão dispostos a vender, aqui turista é pato!
Há que visitar o templo Emerald e o de Wat Pho e, nos intervalos, beber um coco fresco, embriagar os sentidos com frutas tropicais, deleitar-se com a gastronomia local (tendência para o picante, uso da galinha, do peixe, dos moluscos e dos frutos do mar) e experimentar as famosas massagens Tailandesas.

Fora de Bangkok recomenda-se uma ida à famosa praia/cidade/ilha de Pattaya (157Km Sudoeste), ao Mercado Flutuante (76Km Oeste) e a Ayuttahaya (83Km a Norte). Nessas viagens talvez possam vislumbrar um imaginário de selvas com elefantes, crocodilos, tigres, cobras venenosas, iguanas em abundândia, ruinas de civilizações idas, frutas exóticas a crescer à beira da estrada e o Oceano Indico ali mesmo ao lado.O regresso a Tóquio é doloroso. Aqui não há as cores fortes e/ou o calor das paisagens tropicais... Mas... assim é a vida! Para me animar, já comecei a planear a próxima expedição (Tailândia e Cambodja - Agosto 2006).

Mais fotografias disponíveis em http://rebordao.net/temp/tailandia1/

4 comentários:

Anónimo disse...

Olá António
As descrições e as fotos ilustram bem o paraíso por onde deambulas assimilamdo a cada passo um lufada de tradições seculares e/ou misticas.
Continua a dispensar alguns dos teus preciosos minutos a alimentar a nossa imaginação e a dar a conhecer o outro lado do planeta.
Abraço forte cheio de saudades de privar contigo por entre uma ou outra cerveja com tremoços e nevoeiro.
No inicio do mês estabeleceremos contacto assim que dispuser de uma ligação à net na residência.

Sérgio Figueiredo

hiyokochan disse...

antonio, devo dizer-te, que neste momento te odeio mais que nunca!lol

Manuela disse...

Que inveja...lolo.
Beijo

Pedro B. disse...

Grandes fotos, como sempre!