06/03/08

O dia nasce

Num amanhecer precoce o dia nasce e sente-se o frémito da mobilidade. Diante da incógnita da chegada pensa-se no que jaz sob estas nuvens enquanto se folheia o guia/bíblia da Lonely Planet. Antevê-se um país gigante que extravasa as noções de espaço, distância e diversidade típicas de um Europeu. Pensa-se em koalas, tartarugas, papagaios, diabos da Tasmânia, surf, imensidão, deserto, rochas vermelhas, cobras, marsupiais, sapatos de crocodilo, corais, tubarões, seres estranhos e árvores estranguladoras. Busca-se no baú da memória os documentários da vida animal e as conversas saudosas com o amigo JG. Antecipa-se o prazer de rever a Mel e o Richard e de que, a sul do Trópico de Capricórnio, os sonhos são verdes e o verão azul. Alea iacta est.

5 de Março

6 comentários:

Marta disse...

Que emoções, que sabores, que cores encontraste tu por detrás dessas nuvens?
Fico ansiosa à espera de novidades!
Beijinhos
Marta Filipe

Joao disse...

Cangurus ;)
Um forte abraco!

Anónimo disse...

Fico a espera de novidades...e fotos :)
Beijos
Manuela

Anónimo disse...

Fome de espaço..........
Que regresses cheio de palavras,

Um beijo

O rasto do Pirilampo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

esqueci-me de assinar.....

mano, que regresses cheio de palavras e fotos.

beijinhos

Ange