22/04/08

Bem...

Aqui transcrevo um artigo que encontrei no blog do Fugas. Sublinhei a negrito a parte que achei interessante.

"Férias longas em vias de extinção

As férias de duas ou mais semanas parecem ter os dias contados. É a conclusão de um inquérito, a que responderam cinco mil pessoas, realizado pela cadeia hoteleira Holiday Inn, do grupo Intercontinental (IHG).

No questionário, 52 por cento dos inquiridos assegurou não ir de férias este ano nem sequer 15 dias, optando por fins-de-semana prolongados, 24 por cento fica por casa nos períodos de férias escolares, cerca de 20 por cento não consegue ter tempo para férias e um em cada dez refere o facto de ser impossível viajar em simultâneo com a sua cara-metade. A razão mais apontada para não ir de férias longas foi a falta de dinheiro ou a pouca vontade em gastar tanto em tão pouco tempo.

Por outro lado, 50 por cento não gosta de voos de longo curso e 10 por cento não gosta, mesmo, de viagens longas, seja de carro, comboio, avião ou barco. Além disso, 19 por cento não gosta de fazer e desfazer as malas de uma longa viagem, dez por cento angustia-se com ter de lavar a roupa no regresso, seis por cento preocupa-se com o trabalho acumulado durante a ausência e cinco por cento sente falta do conforto do seu próprio lar... C.B.R."

2 comentários:

Gardunha disse...

De Alcongosta para o Japão

Não são só as cerejeiras que temos em comum com a terra do sol nascente.
Num comentário enviado para o Pedaços de Alcongosta, António Rebordão conta que nasceu numa casa no Casal da Ribeira, embora tenha ido morar para a Covilhã. As visitas a Alcongosta ficavam para o fim-de-semana. Localidade a que, pelos vistos, nunca perdeu a ligação. É bom saber.
Actualmente, é Um Rebordão no Japão. Tem um blogue, onde vai relatando as suas vivências e curiosidades. Mas nem rodeado de gente com os olhos em bico esquece a Terra da Cereja. Este post, onde recomenda uma visita ao vale entre Alcongosta e o Souto da Casa, é a prova disso. Da minha parte, sugiro uma visita ao casebre virtual deste conterrâneo.

Pedaços de Alcongosta

Nuno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.